HÉRNIAS DISCAIS PODEM SER REABSORVIDAS?

 Esta é uma pergunta clássica, a grande maioria dos pacientes que recebemos em nosso serviço nos faz esta pergunta.

Vários estudos científicos, publicados em revistas sérias, mostram que sim, e que o processo de reabsorção pode ocorrer naturalmente, mesmo sem tratamentos. Foram estes estudos que acabaram por impulsionar o tratamento não cirúrgico de discopatias, mesmo as de maior gravidade, sem que antes existam tentativas de tratamento conservador (com exercícios, Fisioterapia Manipulativa, Tração Eletrônica, entre outros). O grande problema é que o tratamento conservador cientificamente adequado, não esta disponível na grande maioria dos serviços de fisioterapia que existem no Brasil, e isto aumenta ainda mais a necessidade da cirurgia, pois sem um tratamento adequado, alguns pacientes não conseguem continuar sua vida normal, como tinham antes do inicio dos sintomas.

Em 2013, RAMOS AMADOR et al(2013)acompanharam 118 pacientes com hérnia de disco lombar e lombociatalgia (dor lombar e/ou ciática), observados por exames de ressonância magnética e tomografia. Observaram que, em um ano, 59% das herniações desapareceram e 83% das hérnias extrusas também. Das hérnias que desapareceram, 66% o fizeram com menos e 8 meses do exame inicial.

Este trabalho, publicado em 2013, obteve resultados idênticos a outros publicados anteriormente, como Takada e cols em 2001, que investigaram 42 pacientes, que receberam tratamento conservador (repouso, medicação, injeção epidural, tração) acompanhados a cada  3 meses com nova realização de exame de Ressonância Magnética (após a inicial), com herniações discais e dores na perna (supostamente relacionadas à herniação). Também encontraram relação entre o grau de regressão da hérnia e a melhoria sintomatológica (geralmente com um atraso da redução na imagem em relação aos sintomas, ou seja, os sintomas melhoram antes da melhora da imagem).

Muitos trabalhos mostram que a hidratação da hérniação discal, é fundamental para sua absorção. Foram estes estudos, que reiniciaram nos EUA, os tratamentos de tração, e fizeram com que as empresas do segmento médico, buscassem um equipamento seguro, controlado, e que pudesse alterar a pressão intradiscal, melhorando a nutrição do tecido herniado, favorecendo assim sua reabsorção. A grande pergunta é se pacientes com hérnias, inclusive sequestradas, e com compressão do ligamento longitudinal, tiveram reabsorção com tratamento comum, e até sem tratamento em alguns casos, por que não acelerar o processo, através de uma negativação com componente de pressão intradiscal?

Possivelmente nem todos pacientes com hérnias discal extrusa, sintomática, irá se beneficiar do tratamento conservador, mas não seria uma opção válida a tentativa? Se você possui um diagnóstico de protrusão discal, hérnia discal, e quer um tratamento conservador atual, como os que são feitos nos maiores centros de coluna do mundo, procure um profissional atualizado, que conheça as melhores opções terapêuticas conservadoras.

 

Dr.Alexandre R.Alcaide

 
 
 
Sua avaliação é importante (Nota: 5):